Mudamos

O Catorze cresceu e agora é revista.

Confira tudo em www.revistacatorze.com.br

Festa de Lançamento

banner_festa3

Cross Booking Catorze

cross_book

O Hômi

nei-leandro-3Por Fábio Farias e Rayanne Azevedo

Referência. Nei Leandro de Castro ou Neil de Castro, como preferir, o hômi não é muito ligado a excessivas formalidades. Escritor, com seus 1,70m, cabelos brancos, uma quedinha pelo whisky-com-gelo-porfavor,  óculos e um olhar sensível, poético, erótico.

A literatura de Nei Leandro de Castro ultrapassa as barreiras da ilha potiguar e toca, quem quer que seja, pela sua qualidade técnica e pelas imagens de um Nordeste não-clichê, mas poético, fantástico, de sã saruês, rios de leite, mulheres brabas e anti-heróis destemidos e machos. Continuar lendo

Memória

Garotos_Cults3

O meio ambiente em película

CircuitoTelaVerde

Por Rayanne Azevedo

Conscientizar a população, promover debates e incentivar a produção audiovisual com temáticas ambientais. Essa é a proposta do Circuito Nacional Tela Verde, uma mostra de filmes, vídeos e animações criadas por alunos do RJ, fruto do Projeto de Educação Ambiental do Campo de Polvo e da Oficina de Cinema Ambiental Humano-Mar.

Para divulgar maciçamente a mostra, o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério da Cultura providenciaram exibição em escala nacional em espaços como Salas Verdes, Pontos de Cultura, Coletivos Educadores e cineclubes. Os que se cadastraram para o Circuito receberam DVD’s contendo 30 curtas para exibição. Continuar lendo

Maria, aflita

3631782324_b1f5906c76_bPor Fábio Farias

– Enjoei.

Distraída, Maria olha para o marido. Ele tinha um olhar sério.

– É, enjoei!

Maria, então, coloca o pano de prato sobre a mesa e diz:

– Tá sentindo alguma coisa meu bem? Bem que o doutor Juvenal disse para você não comer frituras…

Determinada, ela foi direto na estante dos remédios e passou a cavucar algum paracetamol da vida. Fabrício mantinha seu olhar sério. Não havia nele o mínimo sinal de alguma doença. Só havia aquele olhar frio, determinado.

– Não Maria. Pare. Não estou enjoado. Eu enjoei. Continuar lendo

Da literatura jerimum: entrevista com Patrício Júnior

image001
Por Fábio Farias

É inegável a influência positiva que a internet causou em todos os setores da cultura. Anarquista por natureza, a grande rede beneficiou iniciativas independentes e conseguiu fazer com que boas idéias rodassem o nosso país continental e conseguisse se manter ao atrair para si um novo público. Uma dessas iniciativas é o selo editorial natalense Jovens Escribas lançado em 2004 por autores potiguares ansiosos por algo de novo na literatura local.

Com romances, poesias e livros de crônicas, a pequena editora cresceu rapidamente em prestígio e chegou, no ano passado,  a publicar em sua tímida coleção a obra do maior escritor potiguar vivo. Nei Leandro de Castro re-lançou seu Dia das Moscas pelo selo e provou a força que os Jovens Escribas tem, mesmo com sua pouca idade. Continuar lendo

A Intuição

850416050_a4f3d32fde_oPor Fábio Farias

– Duas rosas brancas.

A mulher, ainda estranhando um pouco o pedido daquele rapaz que aparentava ter algo em torno de 20 anos, esboçou algo parecido com um sorriso e pediu que esperasse um momento.

Passaram um, dois, três momentos, e ele ainda aguardava o seu pedido. Ansioso para receber as rosas e depois pensar o que fazer com elas. Seu joelho tremia levemente, num sinal de desconforto e pressa. O pedido das rosas brancas veio como um impulso. Ele simplesmente saiu do seu pequeno apartamento com isso na cabeça. Duas rosas brancas. Duas rosas brancas. Duas rosas brancas, para quê? Não sabia. Tinha certeza que teriam que ser duas, rosas e, ainda por cima, brancas.

– Aqui estão, custam 8 reais. Continuar lendo

Entre Carmens e Albertos, o que somos

copacabana

Por Rayanne Azevedo

Carmen faz sexo, mas não está lá. Sua cabeça vaga até a pia da cozinha, que não a deixa esquecer nem por um instante de que precisa comprar detergente.

Em outra situação, Carmen se cala, não diz nada, não fecha os olhos nem lhes dá repouso. Desenhando coisas a noite inteira no corpo do homem que dorme ao seu lado, ela chora. Páginas mais tarde, Carmen será objeto de uma das declarações de amor mais arrebatadoras que eu já tive a sorte de ler. Continuar lendo