João

Por Fábio Farias

João mora num barraco que fica na rua que fede a esgoto e que tem muito rato. João trabalha de pedreiro no centro e tem que ir de bicicleta todos os dias até o trabalho, porque não tem condução. João pedala 3 horas, trabalha mais 10 e pedala 3 horas para voltar todos os dias e ganhar 450 reais. João compra pão, leite, feijão, arroz, farinha de mandioca, macaxeira, roupa pros menino, material e quando recebe um dinherim extra do patrão, ele compra carne. João tem três filhos que estudam na escola municipal, uma mulher que trabalha de doméstica na zona sul. João mal vê a mulher e tem medo que os menino vá para rua. Os menino não podem ir pra rua e ter o mesmo destino de João. João não aguenta o fedor da sua rua. João não aguenta os ratos da sua rua. Mas João não tem dinheiro para sair da sua rua. E os candidato sempre diz que vão mudar a sua rua e que vão dar uma casa nova para João. Mas João quer que os candidato melhorem o colégio dos menino. O colégio dos menino é que vai dar futuro. Mas com aquelas professora e aquelas greves os menino não consegue estudar. E aí os menino vão para rua. Se eles for para rua, eles vão ficar que nem João. Ou pior, vão virar malandro. João não quer que os filhos virem malandro. Nem quer que os filho vire doutor, isso é sonho. João quer dignidade para os filho. A dignidade que ele não tem e que faz ele morar numa rua que fede a bosta, pedalar 3 horas por dia, para trabalhar 10 horas e comprar quase nada. João quer que os candidato faça alguma coisa e não só dê dinheiro pro povo e diga que é do povo. Todo candidato diz que é do povo. João não é besta de acreditar nisso. O sonho de João é ter condução para ir trabalhar, pedalar cansa e João já é velho. João queria ver os menino estudar para ter dignidade. Dignidade. Dignidade. Esses candidato parece não ter dignidade. Queria ver esses candidato passar fome e pedalar 3 horas para trabalhar 10 horas para não ganhar nada. Queria ver os filho dos candidato estudar no colégio dos menino que mal ensina a ler e a escrever. Queria ver os candidato morar em rua que fede a bosta e do lado dos rato. Queria ver candidato que vivesse aqui. Mas candidato diz que é do povo, mas não vive como o povo, não trabalha como o povo. Candidato diz, diz, diz, e não faz. Candidato esquece do povo quando vira doutor. Pede respeito e nem aparece na comunidade, nem para ajudar na escola dos menino. João não gosta de candidato, não gosta de político, João gosta de trabalhar porque trabalhar dá um pouco de dignidade. João gosta de vê os filho estudar, mesmo na escola municipal caindo aos pedaço. João queria ver um candidato trocar de lugar com ele. Pra candidato ver o que é viver sem dignidade. João só quer ver os menino ter um futuro melhor, João só quer ter como comprar carne para comer com a comunidade, João só quer alguem que não diz, diz, diz e depois esquece o povo. João só quer que os menino saia da rua para eles ter um futuro. João só quer que os candidato pare de falar na televisão e de abraçar o povo, ele quer que os candidato melhore o colégio, a condução, o trabalho, a comunidade. a cidade. João quer aprender a ler, a escrever, a ter dignidade. Mas candidato não deixa. Porque candidato quando vira doutor rouba. E João não gosta de quem rouba. João gosta de quem trabalha. Mas candidato não trabalha, só diz que trabalha. Por isso João não vai votar, porque João não acredita mais nos candidato, não acredita mais em doutor. João só queria que melhorasse a escola dos menino e que tirasse os menino da rua pros menino ter dignidade. Mas os candidato não quer que o povo tenha dignidade. Candidato quer voto e acha que o povo quer dinheiro.

One Comment

  1. simona
    Posted outubro 5, 2008 at 7:57 pm | Permalink

    seu texto é dramático, da vontade de gritar…ainda mais agora nesse momento…acabei de votar no candidato.


Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: