Tag Archives: ENE

Com ele, reclamamos. Sem ele, não vivemos. Catorze fatos sobre o ENE

Por Fábio Farias Fato 1: O ENE deste ano ficou abaixo das expectativas (pelo menos das minhas). Um dos motivos disso foi a divulgação e o alarde feito nos meses anteriores. Fato 2: A demora na divulgação oficial, os temas da mesa muito abertos, a falta de tempo para cada um dos convidados falar foram […]

O chorinho dessa sex… Ops, o segundo dia do ENE

  Por Fábio Farias  Pouca gente agüentou, juro. Quando deu por volta das 20h a cambada migrou quase por completa para o bar do chorinho, logo ali, numa rua próxima e a sexta-feira do III Encontro Natalense de Escritores ficou esvaziada. Os que ficaram tiveram que aturar uma mesa com Carlos Heitor Cony e Tarcísio […]

A Crônica Política e o “Papa Figo do Brasil” no ENE

Por Beto Leite Foto Fábio Farias O tema era crônica política. A programação apontava Cláudio Emerenciano como mediador e um dos convidados da mesa – Ticiano Duarte. Na programação não tinha “elogios a Aluízio Alves”, mas algumas informações são desnecessárias. O terceiro nome é do jornalista e escritor Sebastião Nery, e era nele que depositava […]

Quem é?

Por Ceci Oliveira Que tal brincar um pouquinho? De advinha, pode ser? Ele foi poeta, romancista, dramaturgo, contista, jornalista, teatrólogo. Filho de um pintor de paredes afrodescendente com uma lavadeira portuguesa. De origem muito humilde tornou-se um dos maiores nomes da literatura brasileira, e certamente você o conhece, seja das aulas de língua portuguesa do […]

O que é Catorze?

A pergunta pairou no ar do ENE esta noite. Catorze? o que é? um número? o dobro de sete? Acompanhe o blog que você saberá. Breve cobertura do ENE.

As Políticas Culturais em uma Natal sem identidade

Por Fábio Farias O nariz pontiagudo, as mãos ininterruptas, o olhar analítico, a ausência de um dedo na mão esquerda. Dácio observava a janela do seu escritório enquanto aguardava numa impaciência sutil e moderada que se fizesse uma foto sua. Trejeitos cordiais. Mesmo sendo um secretário municipal, dispensa o uso de “senhor”. Sua cordialidade lhe […]